terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Mércia Paiva, a garota que fez sucesso na Tabajara tocando acordeon

Na década de 1950 uma menina começou a tocar acordeon. Seu nome: Mércia Paiva.Já nos anos 70 ela morou no México e seu talento abriu as portas para o sucesso. Naquele tempo havia um forte preconceito se uma menina ou uma mulher tocasse acordeon, sanfona ou qualquer outro instrumento. "Por conta do sofrimento com o preconceito, passei mais de dez anos sem olhar sequer para um instrumento musical. Só peguei num acordeon, de novo, em Brasília", declarou Mércia em entrevista a Josélio Carneiro em 1996, em João Pessoa.

Nos anos 50 ela começou tocar acordeon aos sete anos, em programas de auditório da Rádio Tabajara. "Realmente eu fiz sucesso naquela época", relembra Mércia Paiva. Esteve na Tabajara por cerca de oito anos. Ela tocava músicas eruditas e  outros estilos nas quartas-feiras no programa 'O Encontro com Mércia Paiva,. Era levada à rádio por seu pai, grande incentivador.

Naquela época de ouro do rádio Mércia Paiva conviveu com o conjunto Os Tabajaras do Ritmo, Célia Maria, Penha Maria, Marlene Freire, Carmélia Alves, Adelaide quiozzo, Orlando Silva, Dircinha e Linda Batista, dentre outros artistas.

Um dos momentos marcantes de sua vida artística foi o encontro com o rei do baião Luiz Gonzaga. Gonzagão ficou encantando com o talento da menina.

Naqueles anos os artistas do rádio faziam muito sucesso e Mércia, a exemplo de muitos, recebia um grande volume de cartas dos fãs. Mércia conheceu na Tabajara o casal Jackson do Pandeiro e Almira Castilho.

A 'garota prodígio', como era chamada, também teve apresentações na Radio Tupy, no Rio, e na Rádio Tamandaré, em Recife. Aqui na Paraíba viajou muito pelo interior, tocando em festas de padroeiras em Patos, Guarabira, Sapé, Princesa Isabel,dentre outras cidades.

Em João Pessoa, sua terra natal, Mércia Paiva formou-se em Bioquímica e exerceu a profissão na Universidade de Brasília. Nos anos 80 aposentou-se e veio morar na capital paraibana.

3 comentários:

  1. MEU ORGULHO, MINHA MÃE!

    ResponderExcluir
  2. O som do acordeon de Mércia ficará gravado na memória daqueles que escutaram e degustaram o seu toque pessoal. [Muito orgulho da minha "maninha"! De longe a pessoa mais ética e generosa que já conheci!]

    ResponderExcluir
  3. E não há nenhuma de suas interpretações gravadas para nos impressionar ainda mais?

    ResponderExcluir