terça-feira, 1 de março de 2011

Genival Macedo, o autor de 'Sublime Torrão' cantou na inauguração da Tabajara AM

O compositor Genival Macêdo, autor de "Meu sublime torrão", considerado o hino popular da Paraíba, completaria completaria 90 anos no próximo mês de março. O homenageado do projeto Folia de Rua 2011 testemunhou a inauguração da Tabajara AM, aos 25 de janeiro de 1937.  Ele cantou em um programa no dia da inauguração. Genival Macêdo morreu aos 87 anos, no dia 16 de junho de 2008, vítima de uma parada cardíaca, no Hospital Alfa, em Boa Viagem, no Recife (PE). 

De acordo com matéria do portal ampliarpb.com.br, Genival ficou famoso por compor sucessos como “A mulher do Aníbal”, gravada por Jackson do Pandeiro e também por Chico Buarque em dueto com Zeca Pagodinho, e “Micróbio do frevo”, lançada também por Jackson do Pandeiro e mais tarde regravada por Silvério Pessoa e Gilberto Gil, entre outros.

Desde a juventude, enveredou pelo mundo da música e, ao lado do irmão Gilvan e do técnico de som Nilton Monteiro, entre 1941 e 1943, desfilou no carnaval pelas ruas de João Pessoa em cima de um Chevrolet 1939, intitulado Palácio do Frevo, arrastando multidões com um som amplificado tocando frevos. A engenhoca mecânica foi considerada o avô do trio elétrico baiano inventado depois por Dodô & Osmar.

Genival Macêdo trabalhou na Rádio Tabajara e foi contemporâneo dos maestros Severino Araújo e Moacir Santos e Rosil Cavalcanti. Quando foi morar em Recife, como representante da gravadora Copacabana, conheceu outro paraibano genial, Jackson do Pandeiro, de quem se tornou amigo e lançou no cenário nacional. Jackson chegou às paradas de sucesso cantando, de Genival, músicas como 'Micróbio do Frevo', 'O Crime Não Compensa' e 'A Mulher do Aníbal'. Ao se mudar para o Rio de Janeiro, também foi empresário de estrelas da música brasileira como Altemar Dutra, Ângela Maria e Clara Nunes.

O samba "Diana", composto em parceria com Jorge Tavares, foi a primeira música de sua autoria gravada em 1947 pelo conjunto vocal Quatro Ases e Um Coringa, grupo de grande sucesso na época. Teve composições gravadas, entre outros, por Jackson do Pandeiro, Carmélia Alves, Expedito Baracho, Os Cancioneiros e Gilberto Fernandes.

Na era de ouro do rádio, as músicas de Genival Macêdo foram gravadas por nomes como Carmélia Alves (Saudades de Pernambuco), Alcides Gerardi (Vou ficar em Pernambuco), Carmem Costa (Senhora e senhores, parceria com Zé Violão). Em 1951, Carioca e sua Orquestra gravou o frevo "Vou ficar em Pernambuco" e Onésimo de Almeida a canção "Náufrago do amor", parceria com Popeye do Pandeiro. Veja a letra do samba  Meu Sublime Torrão:

(Genival Macêdo)

Num recanto bonito do Brasil
Sorri a minha terra amada
Onde o azul do céu
É mais cor de anil
Onde o Sol tão quente
Parece mais gentil!
Lá eu nasci e me criei
Fiz canções e amei
Sempre tive inspiração
Lá no Nordeste imenso
Tem um fulgor intenso
Meu Sublime torrão!
A minha terra
Que só encerra
Belezas mil
Pode ser chamada
A namorada
Do meu Brasil!
Minha terra tem
O cantar dos passarinhos
Na lagoa, os gansinhos
Com seu nado devagar
As morenas tão gentis
Ostentando os seus perfis
Numa noite de luar
Não tem a fama da baiana
Mas a paraibana
Sabe amar tem sedução
Paraíba hospitaleira
Morena brasileira
Do meu coração!

Foto e informações do portal www.portalampliarpb.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário